Estádio Nacional de Brasília 2014 busca a certificação LEED

publicado em 05/02/2014

O Projeto da Arena é a oportunidade de Brasilia investir em um equipamentos urbanos multidiciplinar, que resolve parte do problema social, proporcionando lazer e saúde, melhorando a distribuição de energia e água a um custo baixo para população e o mais importante, as caracteristicas do edificio vão aproximar a população às praticas sustentáveis de maneira fácil, divertida e eficiente. Somos os responsáveis pelo projeto arquitetônico de modenização e adaptação do Estádio Nacional de Brasília atendendo aos requisitos da FIFA com vista a se tornar a sede dos jogos de abertura da Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas em 2016.

É com satisfação que podemos afirmar que o COL e a FIFA elogiaram a cidade de Brasília como um dos melhores projetos do ponto de vista funcional para a realização do evento, sendo inclusive utilizado como exemplo as demais sedes durante o recente Seminário das Cidades Sedes realizado de 22 a 24 de fevereiro de 2012, em Brasília.

Para que o estádio esteja em condições de sediar os jogos mais importantes, alem do projeto com excelência, torna-se necessário,que o mesmo passe pelo processo de Certificação LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental) ou seja, uma certificação ambiental para construção reconhecida internacionalmente e administrada pelo USGBC-US Green Building Council. O selo LEED possui 4 categorias: Básico, Silver, Gold e Platinum.

O Estádio Nacional de Brasília “Mané Garrincha”  tem o potencial para ser certificado, com certificação LEED, na categoria Platinum  e servir de símbolo nacional do nosso esforço coletivo para mitigar as mudanças climáticas que hoje colocam o futuro do meio ambiente em risco.

As Arenas e seus serviços de conectividade, tais como ciclovias, passeios, transportes públicos, painéis solares, etc. , transformarão  radicalmente a arquitetura da cidade de uma forma positiva. Brasília tem a maior renda per capita do país e é considerada uma das cidades com a melhor qualidade de vida do Brasil. Nosso estádio será a semente Verde que pode transformar Brasília na primeira Cidade Verde no Brasil. Através da Copa do Mundo, esperamos que o estádio ajude as contruções verdes a crescer globalmente e pode servir de exemplo a ser seguido.

Construção Sustentável

Um edifício sustentável é mais eficiente na sua operação apresentando um retorno financeiro no prazo médio entre 3 a 7 anos.  O investimento inicial pode ser considerado  entre 2 a 3% do custo da obra.

Para o Estádio Nacional de Brasília o investimento de maior peso será em painéis fotovoltáicos; captação de água da chuva na cobertura; iluminação LED; automatização de sistemas para ventilação e ar condicionado e instalações sanitárias com baixo consumo de água.

Os procedimentos já efetuados ou em andamento e outros a serem considerados:

1)    Adequação do estádio, mantida sua capacidade, resultando em 18% de redução da energia embutida de matérias equivalente a 43,908 kg de CO2. ;

2)    Reformulações no projeto adequando as soluções a ventilação e iluminação natural reduziram a necessidade de ar condicionado e ventilação mecanizada;

3)    Busca de eficiência energética que é a parte mais importante da certificação LEED e que equivale a 24% dos pontos disponíveis e 30% dos pontos para uma certificação Platinum, com:

  • Uso de lâmpadas LEDs que reduzira o consumo de energia no estádio.
  • Projetores para iluminação do campo de jogo 25% mais eficientes no consumo de energia.
  • O estádio será capaz de gerar 2.0 megawatts  de energia equivalente a 100% do seu consumo ou o abastecimento de 4000 residencias por dia.
  • Captação de água da chuva na cobertura que poderá ser reutilizada nas bacias sanitárias, na lavagem dos pisos e na irrigação do campo.
  • Mictórios eficientes e bacias sanitárias de dois fluxos e torneiras com controle de vazão são itens que  também irão reduzir o consumo de água em mais de 4 milhões de litros por ano.

4)    A solução de cobertura com uma membrana PTFE cor branca com uma camada fotocatalítica de TiO2 melhora de maneira significativa a durabilidade do material, alem de retirar os gases NOx da atmosfera. Uma cobertura nas dimensões do estádio de Brasília a reação química no contato da água de chuva com a membrana seria o equivalente de retirada de 104 automoveis ou 75 caminhões das ruas a cada hora que o sol estiver refletindo na cobertura.

5)    Uso de cimento com maior teor de escória (material reciclado CPIII)  utilizado nas fundações e  considerado para as outras peças estruturais. O cimento CPIII é mais forte e resistente à umidade pelo alto teor de escória em sua composição alem de ter um custo mais reduzido.